Visão Computacional otimiza processos industriais



Considerada uma vertente da Inteligência Artificial (IA), a Visão Computacional tem como objetivo replicar funções condicionadas à visão humana. Sistemas que utilizam a tecnologia podem, além de capturar imagens, utilizá-las para colher e interpretar dados. Dentro do setor industrial, muitos processos podem ser otimizados através de sistemas que conseguem fazer parte desta constelação tecnológica.

A Indústria 4.0, também conhecida como 4ª Revolução Industrial, tem sido assunto recorrente no ramo do empreendedorismo exponencial. A ideia funciona através da junção de diversos braços da IA que, reunidos, conseguem fazer com que empresas cresçam em alcance. Entre as vertentes mais comuns, estão também a Robótica, a Internet das Coisas, o Machine Learning e até mesmo o sistema Machine to Machine, o M2M.

Através de automação e interpretação de dados dentro das etapas de produção, a Indústria 4.0 vêm revolucionando os modelos tradicionais de negócio. Otimizando a produtividade de vários setores, as vertentes de Inteligência Artificial (IA) conseguem não apenas deixar processos mais eficazes, mas também tornar os meios de produção mais seguros, já que com o uso de máquinas, funcionários são poupados de tarefas perigosas.

Entenda o processo de transformação

Aplicar mecanismos tecnológicos em processos da indústria tem levado os setores a passarem pela chamada transformação digital. A Visão Computacional começa a ser então um dos mecanismos de maior alcance da tecnologia, tornando viáveis passos maiores rumo ao crescimento em grande escala. Com o uso de um sistema alimentado por dados, torna-se possível reconhecer imagens com base em valores numéricos.

Desta forma, novas portas são abertas em termos de avanços tecnológicos; o sistema de contagem de itens dentro de uma cadeia de produção, por exemplo, é automatizado e passa a ter acurácia média de 98%. O processo tradicional deste trabalho acontece através de mão de obra humana e depende da capacidade de um funcionário de contar manualmente vários itens semelhantes. Além de ser pouco preciso, a função se torna extremamente exaustiva.

Para exemplificar o uso de tecnologias disruptivas em cadeias de produção, temos a unidade piracicabana da ArcelorMittal. A multinacional, que antes realizava o processo de contagem de feixes de barra de aço através de mão de obra humana, passou a fazer uso do Pix Counter, solução de Visão Computacional da startup gaúcha Pix Force. A contagem então tornou-se automatizada, rápida e precisa.

Inspeção industrial através de Visão Computacional

Além da aplicação em cadeias de contagem, os sistemas de inspeção também recebem otimização através desta vertente da IA. Fazer controle de qualidade de forma manual, além de ser um processo que leva tempo, também envolve diversos tipos de profissionais técnicos que estejam aptos a avaliar as especificidades necessárias. Novamente, a situação passa a ser demorada e sujeita a falhas.

Com o uso da Visão Computacional, máquinas podem ser capazes de fazer um processo completo de rastreabilidade (entenda mais clicando aqui), ou seja: controlam um produto através de sua origem e localização na cadeia produtiva. Desta forma, falhas específicas podem ser encontradas em tempo recorde, viabilizando a retirada de alguns produtos da linha de produção, assim como chamadas para possíveis recalls.

É inegável o quanto diversos segmentos industriais podem ser beneficiados através do uso de sistemas de IA. Além de poupar tempo de reparo e risco de funcionários que são expostos a situações cansativas, a tecnologia ainda é capaz de fazer com que estes mesmos funcionários sejam aproveitados estrategicamente dentro da empresa. Custos com reparos a longo prazo, assim como a otimização de recursos investidos pelo tempo de produção, passam a ser menores, já que toda a cadeia produtiva ganha rapidez e eficácia.