Tecnologias disruptivas e as mudanças no acesso de colaboradores à indústria durante a pandemia


Vivemos atualmente em um mundo de escolhas e oportunidades profundamente abrangentes, onde novos produtos e serviços são lançados a um ritmo cada vez maior. Na era da inovação, novas soluções podem ser construídas sobre as tecnologias existentes de forma mais rápida do que nunca. Isto significa que há uma nova e ainda maior onda de inovação à nossa frente, e praticamente toda indústria poderá, de uma forma ou de outra, ser afetada por esta mudança.

Mesmo durante uma pandemia, a indústria tecnológica continuou a evoluir. Algumas mudanças — como a explosão do comércio eletrônico e o uso crescente da inteligência artificial — foram impulsionadas pelo efeito do Covid-19 na vida cotidiana. Outras, como a 5G e a visão computacional, têm ficado no horizonte por algum tempo, mas agora estão vendo uma implementação mais difundida nos mais diversos setores da economia global e Brasileira.

A explosão do comércio eletrônico e o uso crescente da inteligência artificial

A explosão do comércio eletrônico e o uso crescente da inteligência artificial


Você já ouviu falar sobre as chamadas tecnologias disruptivas? As inovações estão constantemente ocorrendo em todos os setores mas, para ser verdadeiramente disruptiva, uma inovação deve transformar completamente um produto ou solução historicamente complicada demais ou atrasada, buscando assim uma nova forma de ajudar o consumidor. 

Tecnologias disruptivas

Tecnologias disruptivas


Uma inovação disruptiva é muitas vezes uma solução muito mais simples, mais barata e mais acessível a uma população maior, o qual a abre para um mercado inteiramente novo. Isto muitas vezes faz com que as indústrias estabelecidas se tornem mais prósperas, enquanto a é melhorado o nível de vida dos cidadãos.

Dentre as várias tecnologias disruptivas que têm se destacado consideravelmente nos últimos tempos, encontram-se aquelas que verdadeiramente estão impactando as empresas e os consumidores em 2021. E é claro, no nosso contexto atual de pandemia, poucas coisas mudaram tanto quanto a forma em que colaboradores acessam às indústrias, já que a preocupação com as devidas protecções higiênicas nos centros de trabalho tornaram-se prioridade com o fim de evitar a disseminação do vírus da COVID-19.

Por exemplo, soluções inovadoras como a Pix Thermo, da Pix Force, vieram para contribuir com a retomada das atividades laborais no País. Para identificar se algum indivíduo apresenta sintomas de COVID-19, a medição de temperatura corporal tem se tornado uma das soluções mais eficientes, já que a febre é um dos sintomas mais comuns da doença, e a detecção da mesma pode indicar a contaminação em determinados indivíduos. 

Medição de temperatura corporal

Medição de temperatura corporal


Para isso, engenheiros da Pix Force desenvolveram sensores inovadores para fazer a medição da temperatura de forma eficaz e rápida, tornando a Pix Thermo em um sistema automático, barato e simples de auxílio à triagem, baseado em medição de temperatura corporal. 

Por outro lado, as indústrias têm adotado protocolos de segurança que priorizam mais o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) no momento de acessar ao trabalho. 

Processos industriais requerem que os operadores estejam equipados com EPIs para que as atividades sejam feitas de forma segura e de acordo com a legislação. Esses processos requerem determinadas exigências que podem complicar as atividades industriais, já que, em diversas ocasiões, é extremamente necessário que os operadores estejam sempre equipados somente com os EPIs determinados para atividades e funções específicas, eles precisam entrar e sair da área determinada com os mesmos EPIs, e alguns processos podem ser realizados somente por funcionários específicos cadastrados para aquelas funções.

Essas complexidades podem gerar uma série de problemas tanto para os trabalhadores quanto para as empresas que pagam quantias imensuráveis em processos trabalhistas. Isso ocorre pelo simples motivo de que, muitas vezes, o olho humano encontra-se sujeito a falhas comuns nos processos de inspeções de EPIs, abrindo margem para maiores inconvenientes. 

Sistema de câmeras

Sistema de câmeras


Com o fim de criar uma solução para essa questão, a Pix Force criou o Pix Safety, uma tecnologia disruptiva que trabalha com a análise de EPIs e reconhecimento facial para áreas determinadas. 

Os algoritmos de visão computacional desenvolvidos para o Pix Safety funcionam atrelados a um sistema de câmeras e, devido às suas capacidades de redes neurais profundas para reconhecimento de padrões de imagem, esses algoritmos podem analisar detalhadamente os padrões de cada indivíduo, assim como reconhecer diversos tipos de objetos, independentemente da posição em que se encontrem. 

Por meio desta solução inovadora, as indústrias podem identificar de forma simples e precisa trabalhadores que violam os regulamentos de saúde e segurança industrial. 

Se interessou pelo assunto? Acesse www.pixforce.ai e saiba mais!

#PixSafety #InteligenciaArtificial #controledeacesso #pixthermo #inovação #tecnologia #monitoramento #TecnologiasDisruptivas