Saiba como o uso de drones têm se tornado essencial para o processo de expansão da Indústria Minerad

VANTS, veículos aéreos não tripulados, ou como são popularmente chamados, drones, já são considerados peça chave do processo de expansão da mineração, explorando o potencial de crescimento do setor no país. 


Presente na economia brasileira desde a colonização, a mineração é uma das principais atividades do país, chegando a atingir a casa dos R$ 209 bilhões de faturamento em 2020. De acordo com a Secretaria de Geologia e Mineração do Brasil, a Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM) obteve, entre tributos, um crescimento significativo se comparado ao ano anterior. Em 2019, o setor chegou a atingir R$ 4,5 bilhões, saltando para R$ 6,1 bilhões em 2020, fazendo com que a indústria mineradora seja responsável por 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.


Diante do cenário de expansão, fica evidente o papel que a introdução de novas tecnologias pode desempenhar na otimização de processos dentro do setor. Recentemente, o uso de drones se tornou uma maneira de otimizar processos na mineração, aumentando a eficácia das operações e evitando que funcionários passem por situações de risco.


Indústria 4.0 e o uso de tecnologia na mineração

O conceito de Indústria 4.0 ou 4ª Revolução Industrial revela como processos econômicos, geopolíticos e sociais têm se transformado rapidamente. O uso de soluções tecnológicas nestes setores é recorrente e traz estratégias diversas. Uma delas é a participação de drones em processos específicos da mineração.


Grande amparo financeiro e econômico do Brasil, a Indústria Mineradora tem sido cada vez mais alvo de incentivos tecnológicos que possibilitem e viabilizem sua expansão, incluindo o trabalho com aeronaves. Também conhecidos como veículos aéreos não tripulados ou vants, os drones são aeronaves de tamanho reduzido, que conseguem realizar trabalhos como mapeamento de minas, inspeção e monitoramento, otimizando o fluxo de processos e substituindo mão de obra humana em trabalhos de alto risco.


Algumas atividades foram otimizadas devido ao uso de drones na mineração, como levantamento topográfico da área, utilizado nas fases de pesquisa de campo e extração dos minérios, na avaliação do volume de minério e mensuração de riscos para o meio ambiente –  já que a mineração pode provocar erosões na superfície. Além disso, podem ser evitados riscos para funcionários em dias de clima instável, prevendo tempestades e possíveis acidentes de desbarrancamento, e até mesmo monitorando áreas de preservação e barragens. Isso significa que a função do uso de drones na mineração se dá desde o mapeamento de áreas até a gestão das operações. Drones também são uma opção de melhor custo-benefício e versatilidade, se comparada ao uso de helicópteros e aeronaves tripuladas.


Assim como no mercado internacional, apostar em Inteligência Artificial (IA) é determinante para o futuro competitivo das empresas no Brasil. Além das soluções geradas por drones, a IA pode ser utilizada na Indústria Mineradora em diversos aspectos, incluindo a segurança das operações, considerada um dos pilares mais importantes do segmento. Sustentabilidade pode ser outro aspecto otimizado pela tecnologia, já que soluções proporcionadas pela IA acabam desenvolvendo formas de diminuir o consumo de água, recuperar áreas que sofreram grande impacto ambiental e dar um destino correto a resíduos gerados. Além disso, equipamentos específicos como escavadeiras e caminhões podem ser controlados automaticamente, em soluções criadas através da tecnologia na indústria.


Conheça a Deeptrack, solução que otimiza a logística na mineração

Em parceria com a Eneva, a Pix Force desenvolveu uma solução que utiliza os drones com câmeras térmicas para captar a temperatura dos roletes em correias transportadoras. A solução da Deeptrack é capaz de avaliar quais pontos estão passando por um processo de superaquecimento, gerando relatórios posteriores que podem ser analisados pela equipe técnica que gerencia o  processo.

A Deeptrack foi desenvolvida para funcionar em ambientes hostis, o que também previne riscos relacionados à exposição da mão de obra humana. O processo, que reduz custos com manutenção, trabalha na prevenção de paradas inesperadas nas correias transportadoras, promovendo um melhor custo-benefício das operações. O equipamento possibilita diagnósticos rápidos, viabilizando o alcance da indústria mineradora às soluções de IA que já existem no mercado brasileiro. Outra vantagem é o acesso posterior aos vídeos da missão em sua totalidade, o que permite que haja uma auditoria das operações realizadas com informações sobre o funcionamento das correias em momentos específicos.


Por meio da tecnologia apresentada pela Deeptrack, a indústria mineradora pode obter inúmeras vantagens relacionadas à manutenção preditiva das correias transportadoras, diminuindo custos desnecessários com paradas inesperadas. Além disso, a tecnologia permite que a própria empresa atue na condução dos voos dos drones, graças a um aplicativo de voo totalmente personalizado e focado na praticidade dos processos. Os drones são capazes de realizar missões de forma autônoma através de um único botão, evitando custos com equipes especializadas ou dificuldades técnicas.



#InteligenciaArtificial #inovação #Drones #tecnologia #pixforce #mineracao