ROI e Inovação: será que dá certo?



Existe uma fórmula para calcular o retorno sobre investimento em ações inovadoras? Saiba se é seguro investir.


Primeiramente, é preciso definir o que é ROI. A sigla em inglês Return of Investment gerou o termo Retorno sobre Investimento. A expressão designa a métrica utilizada para calcular o rendimento obtido a partir de uma determinada quantia de investimento. Mas será que é possível unir ROI e Inovação em uma fórmula eficiente?


O quê, como, quando e por quê calcular o ROI

Basicamente, o ROI é uma fórmula simples para se calcular o quanto uma empresa ganhou a partir de um investimento feito. Todo projeto, ação ou empreitada necessita de um impulsionamento financeiro, que é o investimento que a empresa está disposta a fazer para poder realizá-los. Para que a empresa continue operando, é preciso que haja um retorno interessante e assim o investimento não se perde. Por isso, o ROI é uma métrica importante, pois é possível analisar de maneira sólida os lucros e ganhos obtidos.


O cálculo é feito segundo a seguinte fórmula:

ROI = (Ganho obtido – Quantia gasta com o investimento) / Quantia gasta com o investimento.


TRADUZINDO: Subtrair o ganho obtido na ação pela quantia investida, depois dividir o resultado dessa subtração com a quantia do investimento. O resultado da divisão será o retorno sobre investimento.


A análise é subjetiva e para isso não existe fórmula. É preciso interpretar cuidadosamente os resultados para que todas as variáveis sejam levadas em consideração. Por exemplo, custos operacionais, fretes, taxas, impostos e outros custos relacionados. Dessa forma, não é possível estipular o que é ou não um ROI ideal. É preciso analisar caso a caso e aprender com ações anteriores e assim estabelecer as margens aceitáveis.


ROI e Inovação: tem como aplicar?

Inovação, como o próprio nome já diz, é algo novo, inédito. Sempre que uma empresa decide investir em algo novo, é preciso entender que está caminhando sob terreno instável e desconhecido. Dessa forma, não é recomendável aplicar o ROI sobre inovação. Apesar da fórmula parecer simples de aplicar, os resultados não tem nenhum backup confiável para basear a análise.


Não é possível estabelecer parâmetros de sucesso ou fracasso sobre ações inovadoras, pois não há precedentes que sirvam de base. O ROI funciona de maneira eficiente quando aplicado sobre ações conhecidas, documentadas e dominadas. Dessa forma, a empresa consegue montar um escopo de interpretação confiável e com margens definidas.


Como acompanhar o retorno sobre investimento em inovação?

A fórmula tradicional de ROI e inovação são, essencialmente, incompatíveis, visto que a fórmula é mais indicada para ações conhecidas e com parâmetros bem definidos previamente. Apesar disso, é possível acompanhar outras métricas durante uma ação de inovação.


Uma das formas mais eficientes e simples é a clássica tentativa e erro. Exploração e aprendizado fornecem dados importantes para aumentar o número de contratos fechados, acompanhar a qualidade e o número de insights produzidos na relação com os clientes e parceiros e ainda analisar o número de possíveis aquisições da empresa. Os dados produzidos nessa análise simples podem indicar como a ação vem se saindo efetivamente no mercado com informações tanto quantitativas quanto qualitativas.


Outra forma eficiente e mais objetiva de mensuração é avaliar os ganhos. Aumento de visibilidade, número de clientes convertidos, a taxa de penetração e conquista de novos nichos e mercados, ganho de reputação e confiabilidade são alguns exemplos de dados quantitativos para análise.


Além disso, a economia também uma excelente fonte de informação relevante para mensuração. Tempo, recursos, armadilhas de percurso e uma taxa maior de acertos do que erros indicam precisamente se o investimento valeu a pena.


Como melhorar o retorno sobre investimento em inovação

É necessário que a estratégia definida compreenda uma visão de longo praxo X execução em curto prazo. Isso significa que o projeto ou ação até pode compreender um período de tempo maior, porém a execução deve ser feita rapidamente. Inovação e timing são inseparáveis, por isso é importante atentar para que o timing seja uma das prioridades do projeto.


Ganho de reputação também é fundamental. Entregar quick wins é uma maneira eficiente de ganhar legitimidade e aumentar a confiabilidade na capacidade de compromisso e responsabilidade da empresa. Além disso, quick wins são por definição soluções de baixa complexidade, baixo investimento e alto custo-benefício: é bom para o cliente e é bom para a empresa.


Um projeto feito em etapas é outra maneira de identificar possíveis armadilhas. Assim, percebem-se os riscos com antecedência, permitindo que a equipe controle a situação. Possíveis aprovações ou correções etapa a etapa não comprometem o projeto como um todo. Em caso de fracasso, os riscos estavam previamente sob controle e o projeto não desanda por completo.


Por fim, conclui-se que o retorno de investimento em inovação ainda é um conceito a ser debatido e explorado. Inovar é um desafio constante. Faz-se necessário romper com as convenções tradicionais para desbravar áreas inexploradas e alcançar novas possibilidades e potencialidades. Para entender melhor sobre como mensurar o retorno de investimento em inovação, confira o material disponibilizado pelo site 500 startups!