Pix Force é contemplada com três projetos na segunda etapa do Programa IA² MCTI


Única startup contemplada com três projetos na segunda fase do programa de aceleração IA² MCTI, a Pix Force se estabelece como referência na promoção de soluções possibilitadas pela Inteligência Artificial aplicada à imagem no mercado brasileiro. A partir de agora, a startup vai trabalhar com três empresas âncora na busca por mais eficiência na escala produtiva. Natura e Cipatex formam uma parceria direta com a Pix Force, já a Neoenergia trabalhará junto com a Pix Grid, vertical da Pix Force no setor elétrico, desenvolvida graças aos trabalhos de aceleração realizados na primeira etapa do IA². 


Clique aqui e saiba mais sobre o processo de aceleração que resultou na criação da Pix

Grid 


No total, três projetos serão desenvolvidos, cada um deles com uma das empresas âncora ligadas à Pix Force e Pix Grid por meio do IA² MCTI. Todas as empresas participaram do edital do programa na fase chamada de Screening, tendo acesso ao portfólio de startups selecionadas na primeira etapa do IA². Após longas rodadas de pitch e reuniões, foram avaliadas as possibilidades de trabalho conjunto entre empresas e startups em aceleração, que receberão investimento do Governo Federal para a promoção de soluções ao mercado. Isso significa uma diminuição no risco para as empresas selecionadas, que dividirão parte dos custos dos projetos com o setor público.


Além do benefício para as empresas âncora, o IA² MCTI possibilita às startups melhores termos de negociação. Afinal, durante a primeira etapa de aceleração já foram construídas soluções para o mercado, fazendo com que as startups não precisem criar produtos extremamente específicos e que só poderão atender às necessidades da empresa selecionada, entre outras desvantagens.  


Vencedora do prêmio de  startup #1 em Inteligência Artificial no ranking da 100 Open Startups, a Pix Force desenvolve soluções utilizando Inteligência Artificial e machine learning, gerando informações através de aquisição e interpretação automática de imagens e vídeos. O processo de aceleração realizado na primeira etapa do IA² tem possibilitado à Pix Force o desenvolvimento de soluções e modelos de negócios voltados para as dores dos seus clientes, trazendo a adaptabilidade da tecnologia como uma das suas vantagens.

Conforme explica o CEO da Pix Grid, Heitor Tosetto, o programa de aceleração possibilitou o desenvolvimento de uma relação de confiança com o mercado, fazendo com que a startup atue ativamente na expansão do avanço tecnológico no cenário nacional. 

“O sucesso do IA² é um exemplo claro do alcance que políticas públicas bem estruturadas podem ter para a incorporação da Inteligência Artificial no mercado brasileiro” Afirma Heitor Tosetto, CEO da Pix Grid

Entenda o Programa IA² MCTI

O Programa IA² MCTI tem como objetivo central o fomento da inovação tecnológica e da competitividade no mercado brasileiro, promovendo soluções de alto impacto que incorporem Inteligência Artificial para quatro áreas prioritárias: agronegócio, saúde, indústria e cidades inteligentes. A iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) em conjunto com a Softex tem como meta a evolução da competitividade no setor produtivo, promovendo crescimento econômico sadio para o país.


Iniciado em 2020, o programa envolveu diferentes frentes do ecossistema de inovação, unindo startups, aceleradoras, empresas âncora e instituições de pesquisa da área de Tecnologia da Informação e Comunicação. Ao longo da primeira fase do IA², a Pix Force passou por um processo de mentoria e suporte técnico dos ICT’s (Institutos de Ciência e Tecnologia) e aceleradoras com experiência aplicada em Inteligência Artificial. A startup também recebeu investimento financeiro, incluindo recurso do Governo Federal via ICT’s na modalidade fundo perdido, ou seja, financiamento que não precisa ser reembolsado, já que seu objetivo é fomentar o avanço tecnológico no país.


Benefícios para o mercado

Segundo estimativa para 2021 realizada pela IDC, consultoria especializada em inteligência de mercado, a Inteligência Artificial deve gerar investimentos de US$ 464 milhões no Brasil, o que comprova o interesse do mercado em promover soluções inteligentes para suas dores por meio da introdução de novas tecnologias.


A economia de recursos financeiros pode ser apenas um dos benefícios que soluções promovidas pela Inteligência Artificial trazem ao mercado. Pesquisas indicam uma diminuição nos gastos para a indústria de até R$ 35 bilhões por ano, caso se aposte na tecnologia como aliada na manutenção de equipamentos. Nesse cenário, ganhos com eficiência produtiva podem corresponder a uma economia de R$ 31 bilhões. 


#visãocomputacional #Softex #MCTI #Aceleração #pixforce #GovernoFederal #IA