Inteligência artificial para o desenvolvimento de energias renováveis

As aplicações da Inteligência artificial permitem que o potencial das indústrias cresça através da eficiência operacional e do melhor desenvolvimento de processos.


O potencial das energias renováveis ​​no ecossistema energético está cada vez mais fora de debate. No entanto, nos últimos tempos, colocou-se na mesa de discussão a necessidade de que este tipo de energia do futuro seja mais eficiente, tanto em termos de desenvolvimento e produtividade como do ponto de vista operacional.


Nesse contexto, a inteligência artificial que surge como uma solução que permite às energias renováveis ​​serem otimizadas. Isso já está sendo colocado em prática por meio de diferentes ferramentas, desde o uso de modelos preditivos para determinar quando a oferta e a demanda cairão até a detecção de padrões de comportamento por meio da análise de grandes volumes de dados.


LEIA TAMBÉM:



Crescimento notável do setor de energias renováveis


De acordo com o estudo da Selectra, os relatórios apresentados pela McKinsey e da petroleira British Petroleum (BP), as energias renováveis ​​crescerão significativamente nos próximos anos.


A McKinsey prevê que eles serão responsáveis ​​por mais de 50% da geração global de energia até 2035, enquanto a previsão da BP é um pouco mais conservadora, dizendo que eles serão "apenas" cerca de 30% da energia em 2040.


Ao mesmo tempo, a América latina pode experimentar uma verdadeira transformação energética pelas mãos das energias renováveis, segundo a opinião de Alfonso Blanco, secretário-executivo da Organização Latino-Americana de Energia (Olade).


Isso foi afirmado no seminário "Panorama sobre os impactos do COVID-19 nos mercados de energia na América Latina e no Brasil", onde afirmou que a pandemia é uma oportunidade de abrir espaço para novos modelos. Com isso, quer dizer negócios apoiados por energia renovável impulsionados por uma mudança nos padrões de consumo.


Segundo Blanco, “estamos diante de uma mudança de era, pois os aspectos associados às redes inteligentes, autoprodução de energia e geração distribuída são elementos que teremos que ter em mente e teremos que incorporar. "


Mudança de paradigma


De acordo com um outro estudo realizado pela Microsoft e PwC, as novas tecnologias como a IA podem trazer uma mudança de regras no impacto das indústrias no meio ambiente.


No entanto, criar uma mudança global exige mais do que uma crença, e os dados devem ser assentados em soluções e novos acordos.


Dessa forma, o estudo indica que o uso da IA ​​para aplicações ambientais tem potencial para aumentar o PIB mundial entre 3,1 e 4,4% e também reduzir as emissões globais de gases de efeito estufa em cerca de 1,5 a 4,0% até 2030.


Esse mesmo relatório destaca que o uso de IA em energia tem o maior impacto na redução das emissões de GEE (gás de efeito estufa) em até 2,2%.


Soluções específicas da inteligência artificial no setor de energias renováveis


Agora, neste contexto, a pergunta específica que deve ser colocada é: como a IA pode fornecer soluções específicas para o desenvolvimento da indústria da energia renovável?


A Selectra destaca ainda um artigo da Business Insider fornece alguns exemplos interessantes.


A este respeito, destaca que “a inteligência artificial permite antecipar a queda na produção de eletricidade com a procura de consumo para estabilizar a quantidade de energia disponível no sistema”.


Assim, esta aplicação permite evitar cortes ou faltas de fornecimento de energia elétrica em horários e locais específicos onde não é possível cobrir a procura apenas com energias renováveis.


Além disso, a IA usa Big Data e análise de dados para prever com até 36 horas de antecedência em quais áreas geográficas a produção de energia renovável cairá e que picos de demanda adicionais ocorrerão.


Os algoritmos de IA levam em consideração os padrões e tendências climáticas para prever onde a intensidade do vento ou do sol diminuirá e, portanto, em quais áreas haverá menos produção de energia renovável e aumento na demanda de eletricidade.


No caso da IA, a Selectra apurou uma série de tendências em que as empresas do setor de energia já avançaram:


Monitoramento avançado: Salas de controle remoto que são suportadas pela IoT, sensorização de operações e IA. Servem para mostrar conclusões, comportamentos às equipes que monitoram e operam as instalações, comparando todo o tipo de variáveis ​​operacionais.

Detecção precoce de danos: uso de IA para anunciar desastres climáticos que impedem o acesso a determinadas áreas da rede de distribuição de energia.

Capacidades de supervisão e suporte remoto: Muitas empresas confiam em soluções de realidade aumentada quando é necessário oferecer uma segunda opinião de especialistas que não estão na área.

Redução operacional recorrente: Possui IA para processamento de imagens, leitura automática de informações e reconhecimento de padrões corretos/incorretos por meio de processamento de imagens. Isto permite validar automaticamente as reparações ou intervenções realizadas, reduzindo assim a necessidade de deslocação de uma equipa.


Em suma, a IA faz parte do presente e das empresas que produzem energias renováveis ​​e as estão incorporando em suas operações.


Portanto, espera-se que essas tendências se desenvolvam ainda mais nos próximos anos e que novas soluções sejam incorporadas para que a IA se torne protagonista absoluta do crescimento do setor.


Quer saber mais sobre soluções de inteligência artificial e visão computacional para sua empresa? A Pix Force tem a resposta para você. Entre em contato com a gente!


12 visualizações