Inteligência Artificial traz eficiência para processos de contagem


Indústrias de diferentes segmentos lidam diariamente com desafios ligados à eficiência da cadeia produtiva. Entre eles, está a contagem de grandes volumes de produtos, processo comumente lento, cansativo e ineficaz, já que depender da força de trabalho humana para esse tipo de atividade está longe do ideal. A boa notícia é que a Inteligência Artificial (IA) já é capaz de apresentar soluções viáveis para solucionar o problema de forma prática, aumentando o controle de qualidade e a eficiência na gestão do tempo.


Nas linhas de produção, desperdiçar minutos é o mesmo que jogar dinheiro pela janela. Introduzir agilidade aos processos torna-se fundamental para negócios que desejam escalar sua atividade, produzindo mais em menos tempo. Entretanto, indústrias de diferentes setores se deparam com o mesmo problema: a atividade de contabilizar itens realizada por trabalhadores submetidos ao cansaço, estresse  e tarefas repetitivas. A saída está ligada à introdução de tecnologia disruptiva capaz de transcender a visão humana.


Os limites da visão humana

Além de exigir extrema atenção, a rotina de contagem de produtos demanda tempo e constante checagem da atividade. Por sua natureza repetitiva e mecânica, é natural que o cansaço e a distração gerem erros constantes que impactam diretamente nas próximas etapas da produção. Fica evidente que a visão humana possui limitações que dificilmente serão superadas sem a ajuda da tecnologia, indispensável para a eficiência dos processos realizados no chão de fábrica.


A contagem de itens que passam por esteiras é um dos exemplos em que o trabalho manual é claramente ineficiente. Afinal, é necessária extrema precisão e agilidade para definir o número de unidades que deverão ser separadas ou embaladas, evitando erros na numeração que podem gerar excesso ou falta de produtos nos carregamentos. O problema segue para o transporte das cargas, atividade cercada por burocracias e que pode acarretar multas caso irregularidades ocorram. 


A contabilização de sacos na saída de caminhões, por exemplo, gera lentidão e insegurança para o processo, sem contar o risco de sobrepeso. Nesse caso, a aplicação da tecnologia pode gerar soluções práticas capazes de identificar o número de itens e o peso estimado do carregamento. É o caso do Pix Counter, solução desenvolvida pela Pix Force capaz de automatizar a identificação dos itens.


Soluções de baixo custo e com alta precisão

Por meio da Inteligência Artificial (IA) aplicada à Visão Computacional, o Pix Counter automatiza a numeração de itens em diferentes segmentos, incluindo o setor logístico. No caso do transporte realizado por caminhões, o sistema é capaz de contar a quantidade de pallets e sacos, o peso estimado e o número de eixos do caminhão, evitando erros no carregamento. Outro exemplo em que a tecnologia disruptiva pode ser aplicada é na contabilização de barras de aço, material produzido em larga escala e indispensável para a construção civil.


Através da Visão Computacional, máquinas são capazes de enxergar e interpretar imagens de forma mais avançada, rápida e precisa que a visão humana, reduzindo falhas e desperdício de recursos financeiros. O processo tem se tornado cada vez mais urgente para empresas que desejam ampliar sua capacidade competitiva através da Indústria 4.0, conhecida pela possibilidade de aplicação de diferentes tecnologias na cadeia de produção.


O futuro da indústria depende da inovação

Segundo pesquisa divulgada pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI), oito em cada dez indústrias tiveram aumento na produtividade e nos ganhos financeiros devido a investimentos em inovação. Os resultados apontam como gestores têm estado despertos para a necessidade de substituição da força manual em tarefas repetitivas e cansativas, como é o caso da contabilização de grande número de produtos.


Conhecida como quarta revolução industrial, a Indústria 4.0 tem provado que a introdução de soluções inovadoras na cadeia de produção está longe de atingir seu ápice. A capacidade que máquinas têm de coletar e analisar imagens, transformando fotos em dados que otimizam o trabalho realizado pela mão de obra humana, é apenas um exemplo da aplicação de tecnologias disruptivas na indústria.


A introdução de conceitos da Indústria 4.0 no mercado inclui soluções que envolvem robótica avançada, impressão 3D, uso de sensores, sistemas de conexão máquina-máquina, entre diversas outras possibilidades. No caso de setores que precisam realizar a contabilização de peças, itens e mercadorias dentro ou fora da linha de produção, a visão computacional se apresenta como solução fundamental para a otimização do trabalho e gestão da qualidade.


O custo da tecnologia é outro ponto favorável, já que a captação e análise de imagens tem se tornado cada vez mais acessível. Sem contar as vantagens ligadas à economia de recursos financeiros caso problemas na computação dos itens aconteçam. Nesse sentido, treinar computadores para interpretar imagens captadas por câmeras é a única saída viável para a indústria corrigir erros e crescer em competitividade.  


#visãocomputacional #InteligenciaArtificial #pixcounter #contagem #tecnologia #pixforce #indústria