Imagens drone/VANTs X Imagens orbitais (satélite)



Um ponto de constante dúvida nas conversas com os clientes é sobre a utilização ou não de drones para a aquisição das imagens. Há muitas especificidades que merecem ser listadas para melhor compreensão comparativa. Segue abaixo uma relação dos principais pontos que diferenciam essas duas tecnologias:

Drones/VANTs

Vantagens:

• GSD resolução da imagem do drone/VANT’s pode chegar a 1cm/pixel apresentando, em média, resolução entre 4 e 7 cm/pixel; • Nuvens não interferem na obtenção das imagens; • O Custo do imageamento a partir de drones/VANTs na maioria dos casos é menor; • Viabilidade de planejamento na aquisição das imagens.

Desvantagens: • Os sensores usados apresentam baixa variabilidade espectral, na maioria das vezes apenas RGB (cor natural) e infravermelho; • Escala de mapeamento; • Logística para o levantamento; • Restrição de vôo em alguns locais. Imagens orbitais (satélite)


Vantagens

• Plataformas de sensoriamento remoto apresentam a possibilidade de amostragem de extensas e contínuas porções da superfície; • A maioria dos sensores a bordo dos satélites contam com grande variabilidade espectral (multiespectrais e hiperespectrais); • Obtenção de imagens gratuitamente (média e baixa resolução); • Nível de processamento das imagens.

Desvantagens

• Presença de nuvens nas cenas; • Baixa periodicidade na aquisição dos dados; • A resolução espacial dos satélites disponíveis para o uso civil pode chegar até 30 cm/pixel; • Alto valor comercial das imagens (média e alta resolução).


Percebe-se que haverá vantagens e desvantagens em cada escolha. Contudo, nota-se que se se quer maior precisão nas imagens em uma área específica a um preço mais competitivo, os VANTs superam os satélites.

Texto de Fabio Grubert com parceria de Daniel Fernandes.