O que é Agricultura de Precisão: como suas práticas estão inovando o setor agrícola?



Mesmo com a atual crise vivida pelo Brasil, o setor agrícola apresentou no ano passado crescimento, indo totalmente na contramão dos outros setores do país. Segundo o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) a agricultura foi o grande responsável por impedir que a retração do PIB brasileiro fosse ainda maior no ano de 2015. Nesse post você aprenderá o que é a Agricultura de Precisão e as suas principais práticas. Confira!


Antes de falar propriamente sobre o tema agricultura de precisão, precisamos lebrar sobreo crescimento do potencial agrícola brasileiro se deve as rápidas transformações que o setor passou nos últimos anos, tornando a atividade ainda mais moderna e competitiva, alcançando elevados padrões de qualidade e produtividade.


Um dos responsáveis pelo saldo positivo da agricultura na economia brasileira foram as práticas modernas da Agricultura de Precisão, também conhecida como AP, termo proveniente do inglês Precision Agriculture.


LEIA TAMBÉM:


O que é Agricultura de Precisão?


Esta forma de agricultura surgiu com a implementação de um sistema de gerenciamento de informações de variabilidade do solo e do clima, alinhando com processos de plantação e colheita.


A Agricultura de Precisão teve seu crescimento potencializado a partir da introdução de métodos e avanços tecnológicos. Estes métodos puderam ser aplicados no setor agrícola através da utilização de técnicas como o GPS agrícola (Sistema de Posicionamento Global) e as de tecnologias de sensoriamento remoto.


Esta prática moderna da agricultura não é uma única tecnologia. A agricultura de precisão engloba uma série de fatores e componentes dos quais os produtores podem escolher os melhores procedimentos que se adéquam a sua operação e atendam de forma eficaz as suas necessidades.


Ela é baseada em informações exatas e precisas, que permitem gerir o campo produtivo em toda a sua extensão, levando em consideração cada pedaço da plantação. O conceito da AP é aplicar os insumos no momento certo e no lugar certo, fazer o controle de pragas, acompanhar o crescimento e a produtividade em toda a extensão da plantação.


Com a correta aplicação da agricultura de precisão tem-se uma redução dos custos de produção e dos gastos com insumos, uma baixa nas perdas de plantação devido a pragas, diminuição da contaminação da natureza pelos agrotóxicos utilizados e consequentemente um aumento da produtividade.


Práticas da Agricultura de Precisão


A agricultura de precisão engloba diversas práticas, como:

  1. Utilização de sistemas de posicionamento (GPS) de alta precisão: permite localizar e navegar os veículos e máquinas agrícolas no campo com perfeita exatidão.

  2. Introdução de tecnologias para o manejo do solo dos insumos: adéqua a plantação aos diversos tipos de variações climáticas, impedindo desta forma que ocorram oscilações na produtividade. Possibilita também a utilização exata da quantidade de insumos, reduzindo desperdícios e impactos ambientais.

  3. Sistemas de monitoramento: permitem a aplicação de fertilizantes em taxas variáveis de acordo com as condições do solo e que visam diminuir a contaminação.

  4. Aplicação de sistemas integrados: trabalham em paralelo com GPS e fornecem mapas de produtividade de toda a plantação e podendo dividi-los em diferentes relatórios por áreas ou zonas.

  5. Acompanhamento em tempo real da lavoura: favorece o monitoramento da plantação para mapeamento e detecção de pragas e doenças. Através deste acompanhamento é possível aplicar os defensivos agrícolas de forma localizada, impedindo danos ao restante da plantação e ao meio ambiente.

Monitoramento da plantação


A coleta de dados e monitoramento pode ser considerado o primeiro passo da agricultura de precisão. Monitorar a produtividade é um processo que permite mesurar a quantidade produzida em cada área, detectar gargalos na produção e ajuda nos procedimentos de melhoria contínua do processo.


Os indicadores de produtividade ou KPIs (Key Performance Indicators) podem fornecer e documentar a quantidade e a variabilidade da produção, possibilitando aprimorar o gerenciamento de toda a lavoura. Através do monitoramento da plantação é possível dividi-la de acordo com seus resultados, permitindo a aplicação de diferentes planos de ação, que médio prazo possibilitarão ganhos significativos na produtividade.


Sensoriamento remoto


Este conjunto de técnicas possibilita a obtenção de dados e informações de diversos pontos mesmo quando está a alguns quilômetros de distância. O sensoriamento remoto refere-se às imagens que são feitas a partir de um avião, helicóptero, satélites ou até mesmo drones, que têm se tornado grandes aliados do setor agrícola em todo o mundo.


As imagens feitas contêm dados de árvores, plantações, pragas entre outros. A análise das imagens provenientes do sensoriamento remoto pode fornecer informações sobre a saúde das plantações e a condição do solo. Por exemplo: o sensoriamento pode ajudar a detectar problemas de drenagem e detecção de falta de umidade em diversos pontos da plantação, permitindo que o produtor ataque a raiz do problema.


Benefícios da Agricultura de Precisão


A Agricultura de precisão proporciona grandes benefícios para os produtores. Diminuição da degradação ambiental e do risco da atividade agrícola, redução dos custos da produção, possibilita tomadas de decisão rápidas e certeiras, maior controle da produção devido aos sistemas integrados, ganho em sustentabilidade, entre outros benefícios.


O uso da agricultura de precisão é um processo que requer tempo, investimentos e dedicação dos produtores. Porém, possibilita o aumento da precisão na obtenção de resultados, menor variabilidade da produção, redução dos custos de operação e principalmente ganhos na produtividade.


Agora você já sabe o que é Agricultura de Precisão veja também as principais tecnologias utilizadas nesse tipo de agricultura.