Falta de energia elétrica: o que causa e como evitar?

De acordo com a Associação Nacional de Consumidores de Energia, o número de apagões no Brasil tem aumentado com maior frequência a cada ano desde a última década, provocando enormes prejuízos materiais, econômicos e sociais para o país. A falta de energia elétrica é um problema terrível para a economia brasileira.


Somente em 2020, aconteceram 37 grandes interrupções de energia, o que evidencia as grandes dificuldades que o setor enfrenta atualmente para conseguir prever imprevistos, que tornaram-se, de fato, cada vez mais comuns.  


LEIA TAMBÉM:



Problemas causados pela falta de energia elétrica ou apagões


Um dos exemplos mais recentes e devastadores desse tipo de problema foi o apagão de novembro de 2020 no estado do Amapá, no qual uma explosão seguida de incêndio comprometeu três transformadores na mais importante subestação do estado, que fica na Zona Norte de Macapá, deixando 14 cidades e 90% da população do estado no escuro durante vários dias. A crise foi uma das piores já experienciadas no país desde o apagão de 1999. 


Devido à falta de energia elétrica, profissionais da área da saúde de diversos hospitais tiveram que decidir entre ligar as máquinas de hemodiálise necessárias para pacientes com doenças renais e os respiradores das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) que tratavam às vítimas da COVID-19. Essa queda de energia afetou também o sistema de abastecimento  do estado, causando a falta de água encanada, água mineral e gelo. 


A falta de energia impactou, consequentemente, os serviços de internet e telefonia, fazendo com que a maioria parasse de funcionar. Caixas eletrônicos e máquinas de cartão, que precisam de carregamento elétrico, também pararam de operar, impossibilitando muitas pessoas de fazer compras.


As bombas nos postos de gasolina colapsaram em razão da falta de energia durante os dias de instabilidade. O caos na região acarretou inúmeras perdas de recursos econômicos, assim como ao menos uma dezena de falecimentos relacionados direta ou indiretamente ao apagão.


Contudo, crises no fornecimento de energia como a do Amapá não apenas ocasionam grandes prejuízos às comunidades que sofrem suas consequências, mas também afetam profundamente as empresas responsáveis pelos danos causados, que são fortemente punidas pelos órgãos reguladores.


Por exemplo, em 2021, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que regula o setor no Brasil, multou em R$ 3,6 milhões a concessionária LMTE (Linhas de Macapá Transmissora de Energia) pela sua responsabilidade no apagão, argumentando que houve, por parte da empresa, “alta de redundância, falta de planejamento setorial, e falta de sistema especial de proteção (SEP)“.


De acordo com o site Poder 360, a multa foi a maior já aplicada pelo órgão em termos percentuais, sendo de 3,54% da receita da LMTE no ano passado.


Falta de energia elétrica: as razões


As causas mais comuns de falta de energia elétrica ou de apagões estão geralmente relacionadas:

  • explosões de transformadores responsáveis pela conexão entre a geração e a transmissão de grande parte da energia elétrica de uma região;

  • quedas de linhas de transmissão;

  • insuficiência de manutenção e de substituição de equipamentos ultrapassados;

  • ausência de sistemas de proteção das redes;

  • falta de poda preventiva em regiões de maior risco. 


O Brasil possui muitos sistemas de fornecimento de energia centralizados. Em sistemas complexos, a falha de um componente induz outros a falharem em seguida. Quando uma linha de transmissão é interrompida, por exemplo, as linhas paralelas podem sofrer sobrecarga e desligar automaticamente para evitar estragos permanentes no sistema. 


Muitas dessas falhas subsequentes causam blecautes em pequenas partes da rede, enquanto outras ganham grandes proporções, causando apagões de maior escala. 


Como evitar o problema da falta de energia elétrica?


Para evitar ou reduzir este tipo de incidentes, é necessária a manutenção constante dos sistemas dos quais depende o fornecimento da energia, assim como a utilização de novas tecnologias como a inteligência artificial e machine learning para detectar e atuar, com antecedência, os pequenos problemas que possam colocar em perigo o funcionamento correto dos equipamentos das distribuidoras e das linhas de transmissão de energia elétrica.


Se interessou pelo assunto? Acesse o nosso site www.pixgrid.ai e conheça como a tecnologia da Pix Force apresenta soluções rápidas e eficazes para a inspeção preventiva de problemas nos sistemas de transmissão de energia.