Câmeras multiespectrais no sensoriamento remoto com drones: conheça as vantagens!



A técnica de sensoriamento remoto é largamente utilizada na agricultura, anteriormente realizada através de satélites, agora é desempenhada também por drones de alta tecnologia. Saiba aqui como as câmeras multiespectrais são vantajosas para o sensoriamento remoto com drones.


O procedimento tem como finalidade a representação e a coleta de dados de plantas ou superfícies de forma rápida e com grandes distâncias da região monitorada.


O que é sensoriamento remoto?


O sensoriamento remoto consiste no tratamento, armazenamento e análise dos dados coletados, de forma que se conheçam melhor os fenômenos existentes na superfície monitorada.


Tradicionalmente as imagens utilizadas são aquelas por sensores que são capazes de medir a radiação eletromagnética emitida pela superfície de qualquer objeto, como por exemplo, a reflexão da luz solar.


Esta técnica possui diversas aplicações na agricultura, como, o acompanhamento da plantação, monitoramento da saúde das plantas, detecção de pragas , entre outras.


As luz possui diferentes intervalos espectrais, o que é demonstrado facilmente através do famoso prisma de vidro de Newton, que “decompõe” a luz em infinitos espectros em diversas tonalidades.


Atualmente os VANTs tem sido equipados com câmeras altamente modernas, chamadas multiespectrais ou hiperespectral. Estas câmeras são compostas por múltiplos sensores, cada um possuindo um filtro de alta qualidade específico para captação de diversos formatos de ondas refletidas, mas especificamente, para a captação destas diferentes bandas espectrais.


Você quer conhecer tudo sobre Visão Computacional? Clique aqui e aprenda com este super artigo!


Drones com câmeras multiespectrais

As cores que conseguimos enxergar são basicamente definidas pelo comprimento de onda de luz. As plantas absorvem e refletem a luz de formas diferentes, de acordo com o comprimento de onda incidido.


As plantações tipicamente absorvem a luz azul e vermelha, refletindo a outra infinidade de espectros que não são visíveis ao olho humano. As ondas refletidas podem ser captadas por devidamente equipados nos drones que registram uma determinada faixa espectral.


A grande maioria das câmeras existentes no mercado é do tipo convencional — sensores RGB. Estes sensores quando utilizados nos drones carecem de um filtro infravermelho acoplado à câmera para capturar algumas faixas espectrais.


Estes modelos convencionais causam algumas contaminações nas informações, podendo saturar em certos índices de vegetação e não representar corretamente a plantação.


O modelo mais moderno, a câmera hiperespectral, é composto por múltiplos sensores, sendo que cada um possui um filtro específico e de altíssima qualidade e resolução. Desta forma as medições são muito mais precisas e com menores ruídos quando comparado com as câmeras convencionais que carecem da conversão por filtros acoplados — modelo convencional.


As câmeras multiespectrais conseguem individualizar cada umas das cores captadas (azul, verde, vermelho etc.). Além disso, elas captam todas as cores não visíveis como, por exemplo, o infra vermelho e o RedEdge — espectro eletromagnético de mudança significativa na reflectância da vegetação.


Outra grande vantagem destas câmeras moderas é possibilidade de se ajustar a cor da foto de acordo com luz do dia, ou seja, é possível ajustar as fotos para dias nublados ou ensolarados, garantindo altíssima definição independente das condições climáticas.


Sensores multiespectrais


Já existem muitas câmeras hiperesctrais de qualidade no mercado para utilização em drones. Dentre as mais procuradas podemos destacar os sensores da Tetracam, da Airinov e da MicaSense. Um bom exemplo é o modelo Sequoia da MicaSense, de apenas 107 gramas utilizado de forma integrada com GPS e que permite utilização em quadricópteros e drones de asa fixa.

Utilizando estes sensores na agricultura de precisão consegue-se definir de forma clara o quão saudável está a cultura e detectar facilmente diversos tipos de pragas.


Estas câmeras modernas reduzem significativamente a probabilidade de erros nas imagens e medições, garantindo elevada confiabilidade e permitindo análises mais profundas e um melhor acompanhamento.


Ao optar pelo sensoriamento remoto por drones em uma plantação é indicado que seja utilizado uma câmera multiespectral, para desta forma obter-se analises resultando em uma ótima colheita e excelentes resultados.