8 Novidades no Mercado de Drones


Cada vez mais presentes nos céus do mundo inteiro, os drones chamam a atenção por onde “voam”. Hoje, vamos trazer oito novidades bem interessantes deste mercado tão promissor e acelerado.


1. ENTREGAS AÉREAS

Com ruas cada vez mais repletas de carros, uma das apostas do mercado de drones é o serviço de entrega de produtos. Entre as vantagens estão o custo e a flexibilidade, pois drones não necessitam de combustível e não ficam parados em engarrafamentos. No Brasil, isso já está sendo testado: uma empresa brasileira que quer fazer entrega de medicamentos realizou, neste mês de Maio, o primeiro teste de delivery com drones no país. O experimento foi feito em São Paulo e teve a autorização do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). Para a entrega, foi utilizado um hexacóptero, que atinge até 32 km/h, numa altura de até 15 metros. Esse modelo de drone possui um sistema avançado que garante segurança e praticidade na entrega. Chamado de SMX-DLV-1, o hexacóptero recebe as coordenadas de entrega por meio de um software e conta com conexão com um controle remoto, caso haja algum problema e a viagem tenha que ser interrompida.


Outra empresa que realizou esse tipo de teste com drones foi a Amazon, em 2015.  Por conta do baixo peso das mercadorias que a empresa oferece, cerca de 2kg, o serviço é bastante favorável. O experimento ocorreu durante o dia, na Flórida (EUA), e o operador do drone era devidamente habilitado para controlar a máquina, além das condições do tempo terem favorecido a entrega. A Amazon afirmou que sua expectativa é de que as entregas sejam feitas em, no máximo, 30 minutos, inclusive em locais de difícil acesso.


2. O MENOR DRONE DO MUNDO

Alguns drones são desenvolvidos apenas para diversão de seus usuários, sem objetivos profissionais. Este é o caso do menor drone do mundo: o Skeye Pico Drone, da empresa holandesa TRNDlabs.  O drone é minúsculo, podendo ser segurado apenas com um dedo, e não possui câmera e capacidade de voar para muito longe. Ele é acompanhado de um controle, no qual há um compartimento especial para ser guardado, e pode realizar manobras, sendo uma opção diferente para se divertir. O preço é bastante amigável: apenas R$ 124.


3. O DRONE MAIS RÁPIDO DO MUNDO

Você já imaginou um drone sendo mais rápido que um carro de corrida? A Drone Racing League, organização que promove competições entre drones, testou o mais novo RacerX que alcançou a marca dos 289 km/h. O equipamento bateu recorde mundial e é mais rápido até mesmo que um Ford Mustang e um Chevrolet Camaro. Essa velocidade impressionante só é possível graças aos quatro motores TMotor de 2500 kv, capazes de girarem as hélices a 46 mil rotações por minuto. A DRL superou seu seu próprio recorde mundial de velocidade, que era de 136 km/h e pertencia ao Racer 3. Para ser oficialmente reconhecida pelo Guinness World Records como a maior velocidade alcançada no solo por um quadricóptero alimentado por bateria e controlado remotamente, o DRL RacerX teve que voar um percurso de 100 metros e, após isso, foi feita uma média de velocidades máximas que chegou ao resultado oficial de 263,1 km/h.


4. O DRONE MAIS CARO DO MUNDO

O Ehang 184 é um projeto de drone dirigível da startup chinesa Ehang, que mostrou o conceito na Consumer Electronics Show, em Las Vegas, juntamente com seu altíssimo preço de US $ 300.000. O modelo de protótipo possui cadeiras futuristas e um tablet embutido para controles. De acordo com a empresa, o drone leva duas horas para carregar e pode voar em torno de você por cerca de 23 minutos. Ainda não está sendo comercializado, pois não houve aprovação do protótipo, até o momento.


5. DRONE GIGANTE

A conhecida empresa Boeing construiu, recentemente, um protótipo de drone “peso-pesado”. A empresa de aviação anunciou que que esse modelo tem potencial para modificar a forma como se transporta carga no mundo. Batizado de “protótipo de veículo elétrico aéreo de carga de decolagem e pouso não tripulado” — em inglês “eVTOL” –  o drone impressiona por suas dimensões e especificações. Em vez dos tradicionais quatro rotores, o drone gigante da Boeing é equipado com oito hélices. Ele mede 4,57 metros de comprimento por 5,49 metros de largura e 1,22 metros de altura, pesando 317 kg, o que o permite carregar até 226 kg. Como comparação, o popular Phantom 4, da DJI, é capaz de conduzir cargas de até 900 gramas, no máximo. Esse modelo é totalmente elétrico, possui baterias projetadas pela própria Boeing e foi construído em três meses, tendo sido aprovado em testes nos EUA.


6. DRONE QUE POUSA EM PAREDES

Batizado de Multimodal Autonomus Drone (S-MAD), o drone capaz de pousar em superfícies verticais está sendo desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Sherbrooke, no Canadá. Inspirada em aves que utilizam suas asas para diminuir a velocidade durante o voo, a aeronave possui sensores a laser e de movimentos e detecta a parede e automaticamente. O drone reduz sua aceleração e utiliza um sistema de garras com microespinhos para pousar em locais que drones tradicionais não conseguem. Um dos problemas encontrados no equipamento é o fato de ele não ser capaz de voltar para a posição inicial. No entanto, para solucionar essa dificuldade, os pesquisadores utilizam uma manobra conhecida como pitch-up, que transforma o drone de asa fixa em uma espécie de helicóptero. O S-MAD é, por enquanto, apenas um protótipo funcional, mas o objetivo do projeto é possibilitar que empresas e instituições governamentais coletem informações em pontos que o ser humano ou qualquer outra máquina não consegue chegar.


7. DRONE SALVA-VIDAS

O primeiro resgate de vidas feito por um drone ocorreu este ano, em uma praia da Austrália. Dois jovens australianos foram arrastados por uma onda com cerca de três metros e encontravam-se a 700 metros da costa. Uma pessoa que passeava na praia fez o alerta e, dois minutos depois, o drone localizou os jovens e lançou uma boia para as vítimas. A vantagem dos drones é que se movem a 50 km/h, a uma altura de 60 metros, tendo uma ampla visão da água. As autoridades disseram que um salvamento comum teria levado cerca de seis minutos, sendo que o drone só precisou de 70 segundos.


8. DRONE VIGILANTE DA CASA

Diante do aumento da criminalidade e da falta de segurança até mesmo com muros, cercas elétricas e alarme, surgiu o drone doméstico, algo como um drone vigilante, batizado de Aire. O aparelho não segue o padrão visual dos quadricópteros populares, mas promete ser um reforço a mais na segurança das casas. Integrado com a assistente virtual da Amazon (Alexa), o drone detecta sons e movimentos e realiza alertas instantâneos no smartphone cadastrado, caso haja alguma anormalidade no ambiente. Aire foi projetado apenas para ambientes internos, podendo, inclusive, estar próximo de crianças e animais.


Por meio de comandos de voz, é possível pedir que o aparelho decole, gire ou procure por um rosto. Equipado com sensores de 360 graus, com câmera 4K e microfones embutidos com redutores de ruídos, Aire pode ficar “estacionado” sobre um móvel ou voando. Entre seus usos, o drone pode ser interessante para pais que viajam muito e deixam os filhos sozinhos em casa, ou para filhos adultos que possuem pais idosos sozinhos em casa.


Dessa forma, o aparelho pode ser útil para conferir, em tempo real, como as coisas estão e, em caso de emergências como incêndios ou invasões, ser alertado para agir rápido. Todos os dados captados pelo Aire são armazenados em uma nuvem criptografada e o aparelho ainda roda um poderoso processador da Nvidia. No entanto, o tempo de voo é de apenas oito minutos, muito abaixo do apresentado por drones fotográficos. O drone doméstico custa US$ 199 o kit mais básico (cerca de R$ 630, sem considerar os impostos).